Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Álbum de Testamentos

Porque sou uma miúda com muitas maluqueiras e adoro escrever (e muito) sobre elas.

Bones / Ossos

 

Esta é uma série que se foca em Temperance Brennan, uma antropóloga forense que estuda os ossos dos cadáveres para os identificar, descobrir o que os matou, quem os matou, onde é que a pessoa viveu, como viveu, entre outras coisas. Como podem ver, à primeira vista, na sua raiz, não parece diferir muito do CSI e outras séries policiais similares. Aquilo que distingue Bones de tais séries não é apenas o humor negro, muito invocado quando se fala desta série. É também o núcleo duro das personagens, cada uma com as suas particularidades, algumas quase caricaturadas, a dinâmica entre elas. São elas que fazem com que anseie pelo episódio seguinte, que eliminam o sentimento de repetição que tantas vezes vigora em outras séries policiais.
 
Outro grande fio condutor de Ossos é a dinâmica de Brennan e Booth, durante muitas temporadas o casal-que-não-chega-a-sê-lo, conceito que já vi repetido em séries como O Mentalista, Castle e Lie to Me. Nas três primeiras temporadas, esta dinâmica foi muito bem trabalhada, na minha opinião. Nas três temporadas seguintes enrolaram-na demasiado: se anteriormente a tensão romântica/sexual  era subtil, discutível, a partir de uma certa altura, tornou-se tudo muito óbvio, perdeu uma grande parte da graça. No entanto, acabaram por encontrar uma boa maneira de selar a coisa - a gravidez da atriz que faz de Brennan foi muito bem aproveitada na transição da sexta para a sétima época. Teria sido redundante mostrarem todos os passos desde dormirem juntos até assumirem a relação. 
 
A série conseguiu manter o nível nesta última temporada, apesar de ter sido mais curta do que o habitual - provavelmente, mais uma vez, devido ao nascimento da filha de Emily Deschanel. O final foi um dos melhores de todas as temporadas de Bones - atrevo-me mesmo a dizer que foi um dos melhores episódios de sempre, apresentando-nos aquilo que muitos julgariam impensável. um homicídio em que todas as provas apontam para Brennan, de tal forma que eu própria começo da duvidar da inocência da personagem principal. Faz-nos, deste modo, ansiar pelo retorno da série.
 
Em suma, Ossos é das poucas séries - se não for a única - das que já sigo há vários anos cuja qualidade não decaiu com o tempo. Acho que ainda pode durar mais um par de anos - dificilmente mais do que isso - antes de começar a desgastar. Quando terminar, deixará imensas saudades.

3 comentários

Comentar post

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Segue-me no Twitter

Revista de blogues

Conversion